Modificado o rito de imposição das Cinzas em tempo de pandemia

quaresma-de-2020A situação de saúde causada pela crise pandêmica do coronavírus continua exigindo uma série de atenções que também se refletem em âmbito litúrgico. Tendo em vista o início da Quaresma deste ano, na quarta-feira 17 de fevereiro, a Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos publicou em seu site as disposições a serem seguidas pelos celebrantes no rito de imposição das Cinzas.

“Feita a oração de bênção das cinzas e depois de as ter aspergido com água benta sem dizer nada – precisa a nota -, o sacerdote, voltado para os presentes, diz uma só vez para todos a fórmula que se encontra no Missal Romano: ‘Convertei-vos e acreditai no Evangelho’, ou ‘Lembra-te que és pó da terra e à terra voltarás’.”

Depois, prossegue a nota, “o sacerdote lava as mãos, coloca a máscara protegendo o nariz e a boca, e impõe as cinzas a todos os presentes que se aproximam dele, ou, se for mais conveniente, aproxima-se ele do lugar daqueles que estão de pé. O sacerdote pega nas cinzas e deixa-as cair sobre a cabeça de cada um, sem dizer nada”.

Fonte: Site Vatican News

Afinal?...

caminhos1Deus respeita nossa inteligência e a nossa vontade. Daí ser o homem autor de sua própria história. Tem diante de si dois caminhos por meio dos quais pode definir sua vida: o bem ou o mal. Jesus faz menção no Evangelho sobre o caminho estreito que leva à felicidade. Ele se declarou esse caminho. É perfeitamente certo que vivemos numa encruzilhada. Só cada um de nós pode escolher o melhor (bem) caminho ou pior (mal). Seria talvez melhor viver uma vida voltada ao prazer, às inconsequências do TER. É o caminho fácil do gozo, das fanfarrices, dos prazeres ou coisas iguais. A busca da felicidade, da estrada que nos levará ao céu, não seria o SER, vida vivida na honestidade, na misericórdia, na partilha, no perdão, nas atitudes voltadas para o outro? Pode parecer difícil, incômodo, mas com Jesus tudo vai bem. Cabe, pois, a você decidir e que seja o melhor.

Padre Antônio Pereira Gaio
Vigário Paroquial da Catedral

Missas presenciais são retomadas em Juiz de Fora

retorno missasNa tarde da sexta-feira, dia 08, o Arcebispo Metropolitano se pronunciou a respeito do novo decreto da Prefeitura de Juiz de Fora, publicação que oficializa as alterações no funcionamento de diversos setores da cidade. Segundo a prefeitura, a norma vigorará a partir desta sexta mesmo. Ele estabelece como devem ocorrer as celebrações durante esse tempo que o município estiver na onda amarela do Minas Consciente.

No decreto estabelece que igrejas e demais podem realizar celebrações com fiéis, com horário de funcionamento livre, respeitando o limite de até 30% da capacidade do local. Entretanto, ocorreu um equívoco na redação do documento, no momento da inclusão do trecho que limita o quantitativo de pessoas a 30 fiéis. “Houve um engano na digitação do texto da Prefeitura, indicando o limite de 30 pessoas. Porém, o que prevalece é a ocupação de 30% do espaço”, esclareceu Dom Gil.

Assim como os apelos do Papa Francisco: “O que cada um de nós e todos nós juntos podemos fazer é de nos comprometer um pouco mais a cuidar uns dos outros e da Criação, a nossa Casa Comum.”, o Arcebispo recordou, ainda na mensagem, a necessidade de manter os cuidados tanto solicitados pelas autoridades e adotados nas igrejas.

Clique aqui e confira a íntegra da mensagem.

Fonte: site da Arquidiocese de Juiz de Fora

Leia mais

NEWSLETTER
Cadastre-se e receba as novidades da Catedral.
  1. Facebook
  2. Twitter
  3. Instagram
  4. Video