Nota do Arcebispo sobre publicação de algumas Comissões de Justiça e Paz a respeito de política

Nota-do-arcebispoConsiderando que circula nas redes sociais um texto com o título: “Afastar o Presidente para Salvar Vidas e a Democracia”, publicado no dia 24 de abril passado;

Considerando que entre os signatários, figura “Comissão de Justiça e Paz da Arquidiocese de Juiz de Fora”;

Considerando que só tomamos conhecimento deste fato através da internet, sem que qualquer pessoa tenha procurado nosso parecer ou nossa autorização para tal iniciativa;

Considerando que consultei a vários sacerdotes colaboradores mais próximos no governo da Arquidiocese sobre possíveis pessoas que possam ter agido de forma desautorizada neste presente particular, e nenhum deles soube informar;

Declaro que a Comissão Arquidiocesana de Justiça e Paz de Juiz de Fora, já há algum tempo, se encontra desativada, não tendo sido ainda reorganizada por nós e que possíveis grupos anteriores não foram oficialmente confirmados.

Peço aos organizadores do referido texto que retirem da lista dos signatários a Comissão de Justiça e Paz da Arquidiocese de Juiz de Fora.

Quanto ao momento político nacional, oriento paternal e fraternalmente aos meus arquidiocesanos que nos coloquemos em oração para que se manifeste a vontade Deus em favor do povo brasileiro, prevaleçam o diálogo, o respeito mútuo e a paz. Além disso, rezemos, em sintonia com o coração do Papa Francisco, pelo fim da pandemia covid-19, e para que os graves problemas econômicos decorridos dela, não causem grandes danos, sobretudo às famílias mais pobres, mas despertem em toda a sociedade brasileira os sentimentos de solidariedade e compreensão fraterna.


Dom Gil Antônio Moreira
Arcebispo Metropolitano de Juiz de Fora

Vigário paroquial festeja aniversário de ordenação

pe daniloA comunidade paroquial da Catedral está em festa. Hoje, 05 de maio, o nosso vigário paroquial, padre Danilo Celso de Castro comemora 30 anos de sacerdócio.

Pe. Danilo nasceu em Juiz de Fora. Foi ordenado diácono em 1989, em São Paulo (SP), e sacerdote oito meses depois, em Juiz de Fora. Já atuou em diversas paróquias, nas cidades de Campinas (SP), Santo André (SP), São Paulo (SP), Nova Friburgo (RJ) e Juiz de Fora.

“Para mim, ser padre é fazer a mesma coisa que Jesus fez: dar a vida pelos irmãos, amar, perdoar e servir. É responder e renovar a cada dia esse chamado. É, ainda, aceitar com fidelidade o convite de Jesus: “Quem quiser vir comigo, renuncie a si mesmo, toma tua cruz e siga-me”.

Domingo do Bom Pastor é celebrado por Dom Gil na Catedral

quarto domingo pascoaNa manhã do último domingo (4), o Arcebispo Metropolitano de Juiz de Fora, Dom Gil Antônio Moreira, presidiu missa dominical na Catedral Metropolitana. A celebração contou com a participação de poucos fiéis, foi concelebrada pelos padres da Catedral, e teve o auxílio do diácono Antônio Valentino da Silva Neto.

Neste domingo em que a Igreja celebra Jesus como Bom Pastor, Dom Gil iniciou a santa Missa explicando que todos os anos a Igreja divide o capítulo 10 do Evangelho de João em duas partes, a primeira refletida no domingo, e a outra no evangelho desta segunda-feira, e convidou a todos para prestarem atenção.

Em tempos de isolamento, o Arcebispo destacou que a beleza é um artificio que pode ser usado para ajudar a fazer esse período. Ele recordou de algumas iniciativas como transmissões musicais, dentre elas o vídeo dos seminaristas cantando, e afirmou que a beleza é algo que Jesus também gostava. “Jesus usa da beleza para transmitir o seu amor. A beleza comunica amor. Hoje Jesus usa uma das imagens mais belas: eu sou o Bom Pastor”.

“No 4° domingo da Páscoa lembramos então que Jesus se apresentou como Bom Pastor das ovelhas, as ovelhas que reconhecem a sua voz, seguem seus passos, e também se apresenta como porta do redil, para entrar no seu redil, seu reino, ou seja, sua Igreja, é preciso passar por ele”, destacou o Arcebispo.

Dom Gil apresentou ainda uma imagem do Bom Pastor, a primeira imagem de Jesus que apareceu na história. Uma réplica da imagem, do século III ou IV, que se encontra nas Catacumbas de São Calisto, em Roma. Ela destaca o amor do Pastor que carrega as ovelhas sobre os ombros.

Na homilia, frisou que para entrar para o Reino de Deus é preciso passar por uma porta definitiva, que é o próprio Cristo. Para isso, constatou que é preciso que o Bom Pastor seja sempre o guia e que nunca se deixe de escutar a sua voz.

Foi frisada, também, a necessidade de rezarmos pelas vocações, inclusive pelos seminaristas de nossa Arquidiocese. “Ele mandou que fizéssemos, pedir ao Senhor da messe que envie operários para sua messe, então hoje é o dia de rezarmos pelas vocações. Mas também rezarmos pela perseverança dos sacerdotes, que são tão dedicados, entregam sua vida inteiramente, não se casam para ficarem à disposição do Senhor 24 horas por dia. Vamos rezar pela perseverança e dedicação do nosso clero”.

Ao final da missa, Dom Gil lembrou da proposta do Papa Francisco para este mês: rezar o Terço em casa, em família, todos os dias. Em vista disso, foi rezada uma das orações indicadas pelo Papa. E ao encerrar, antes de despedirem-se, devidos parabéns foram dados ao Padre Danilo que completará mais um ano de vida sacerdotal no dia de amanhã (5).

Fonte: site da Arquidiocese de Juiz de Fora

Leia mais

NEWSLETTER
Cadastre-se e receba as novidades da Catedral.
  1. Facebook
  2. Twitter
  3. Instagram
  4. Video