Arquidiocese de Juiz de Fora adota Catequese Matrimonial por Acolhida em preparação ao Sacramento do Matrimônio

noivosNos últimos anos, a Igreja Católica tem buscado novas formas de acolher e preparar os casais para receberem o sacramento do matrimônio, refletindo sobre a importância de uma formação mais integrada e espiritual. Atendendo às orientações da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), o Arcebispo Metropolitano de Juiz de Fora, Dom Gil Antônio Moreira, decretou, em junho de 2024, a implantação do método da Catequese Matrimonial por Acolhida na arquidiocese.

A transição do tradicional curso de noivos para o catecumenato matrimonial vem da percepção da necessidade de um período prolongado de formação, que possibilite um verdadeiro acolhimento ao casal, através de um acompanhamento mais próximo. Este permite aos noivos um entendimento mais amplo acerca do que representa o sacramento, além de tratar temas essenciais para a vida matrimonial a fim de reduzir as chances de crises conjugais.

Dentre as principais diferenças entre a catequese matrimonial e o curso de noivos, destaca-se o convívio dos candidatos ao Sacramento do Matrimônio com uma família. Ao longo desta preparação, os temas abordados são os contemplados no Decreto Episcopal, permeando a doutrina, documentos eclesiais e conceitos bíblicos. O Vigário Episcopal para Vida e Família da Arquidiocese, Padre Laureandro Lima da Silva, comentou sobre a importância dessa preparação aprofundada para a construção sólida do casamento. Para ele, a falta de conhecimento do casal acerca de temas importantes, como nulidades e impedimentos, facilita futuros pedidos de nulidade e divórcio.

“Nas preparações apenas em finais de semana, com poucas horas de duração e, muitas vezes, com uma conversa formal com os párocos, não atingimos o objetivo de formar, educar e gerar casais na fé e conscientes do verdadeiro sentido do Sacramento do Matrimônio. Com a catequese matrimonial, permeada por vários encontros dos casais formadores com os casais em preparação, haverá grande troca de experiências da vida conjugal, com acolhimento e aprendizados a fim de uma união duradoura e santa”, completou Padre Laureandro, em entrevista.

A Pastoral Familiar, ao implantar este novo método, tem a possibilidade de estar mais próxima dos candidatos ao matrimônio, acompanhando a nova família a ser constituída. No entanto, o Vigário Episcopal reforça a importância da formação também de casais formadores. “Eles devem ser verdadeiros evangelizadores, não se deixando contaminar pela vaidade ao impor aos casais uma realidade distanciada da misericórdia”, pontuou.

Na Arquidiocese de Juiz de Fora, em algumas paróquias, a Catequese Matrimonial por Acolhida já está sendo praticada, enquanto outras estão em transição de formato. “Isso não deve soar como uma surpresa para nós, mas como a percepção da verdadeira obediência às recomendações da nossa Igreja, através do Santo Padre e de nosso Arcebispo”, afirmou Padre Laureandro.

Confira as paróquias, apresentadas por Foranias, em que a Catequese Matrimonial por Acolhida foi implantada:

Forania Bom Jesus
Paroquia Nossa Senhora do Rosário – Bocaina de Minas | Em transição

Forania Mãe de Deus
Paróquia Nossa Senhora da Conceição – Matias Barbosa/MG
Paróquia Santíssima Trindade – Poço Rico (JF)
Paróquia Santo Antônio do Paraibuna – Santo Antônio (JF) | Em transição

Forania Nossa Senhora da Conceição
Paróquia Nossa Senhora de Fátima – Barbosa Lage (JF)
Paróquia Nossa Senhora de Fátima – Santa Cruz (JF)
Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro – Monte Castelo (JF)
Paróquia São Paulo II – Nova Era (JF)
Paróquia São Sebastião – Barreira do Triunfo (JF)

Forania Nossa Senhora das Dores
Paróquia Nossa Senhora das Dores – Lima Duarte/MG
Paróquia Santa Rita de Cássia – Santa Rita de Ibitipoca/MG

Forania Nossa Senhora do Líbano
Paróquia Cristo Rei – Jardim do Sol (JF)
Paróquia Nossa Senhora Aparecida – Linhares (JF)
Paróquia São José – Costa Carvalho (JF)

Forania Sant Ana
Paróquia Nosso Senhor dos Passos – Rio Preto/MG

Forania Santa Luzia
Paróquia Santa Luzia – Juiz de Fora

Forania Santa Terezinha
Paróquia São Sebastião – Chácara/MG | Em transição

Forania Santo Antônio
Paróquia Bom Pastor – Bom Pastor (JF) | Em transição
Paróquia Santo Antônio – Catedral Metropolitana (JF) | Em transição
Paróquia São Mateus – São Mateus (JF)

Forania São José
Paróquia São José – Bicas/MG

Forania São Miguel
Paróquia São Joaquim e Santa Ana – Santos Dumont/MG

Forania São Vicente
Paróquia Nossa Senhora da Conceição – Rio Novo/MG

Fonte: site da Arquidiocese de Juiz de Fora

Abertas as inscrições para o 53º Encontro de Casais com Cristo

eccConstruir o Reino de Deus a partir da família, a Igreja Doméstica, para que os casais se reencontrem com eles mesmos, com os filhos, com a comunidade e, principalmente, com Cristo.

Este é um dos objetivos do Encontro de Casais com Cristo – ECC, que chega em sua 53º edição neste ano, na Catedral.

As inscrições estão abertas para o próximo curso que acontece entre os dias 27 e 29 de setembro de 2024, na Casa de Retiro Ave Maria.

As vagas são limitadas e os casais interessados podem deixar nome e telefone em nossa recepção, pessoalmente, através do telefone 3250-0700 ou pelo nosso whatsapp (32) 98867-0419.

Missa de Encerramento do 99º Emaús Masculino é marcada por entusiasmo, alegria e musicalidade

DSCN9073Na noite do último domingo, dia 14 de julho, a Catedral Metropolitana acolheu o Movimento Emaús na celebração de encerramento do 99º Emaús Masculino. Cerca de 23 homens estiveram em retiro entre os dias 11 e 14 de julho para ter uma experiência profunda com Cristo.

O Arcebispo de Juiz de Fora, Dom Gil Antônio Moreira, presidiu a Santa Missa. Ele destacou a importância da obra para a evangelização dos jovens. “ O Emaús só existe no Brasil, desde a década de 70. Muitos jovens foram evangelizados, que hoje são adultos, pregadores, verdadeiros apóstolos nas dioceses, nas cidades, nas paróquias, esperamos que os próximos tenham um número maior. Nós desejamos que esse movimento cresça muito para que os nossos jovens recebam a mensagem, e como o evangelho de hoje ensina, sejam verdadeiros missionários de Jesus, se preocupando em levar a riqueza da palavra, a riqueza da fé para todos os que encontrarem”, disse ele em entrevista.

A Eucaristia foi marcada pelo entusiasmo, a alegria e musicalidade de movimento. Durante o curso, os participantes são divididos em grupos. Assim sendo, durante a celebração estes grupos deram testemunhos sobre suas experiências. “Desde o momento em que chegamos, fomos incentivados a nos autodescobrir e repensarmos a posição no mundo e na sociedade quanto homens. E, assim, podemos nos reavivar em Cristo, permitindo sentir o alívio no coração final. Saímos hoje livres das algemas do mundo, que nos prendiam e impediam o encontro com o nosso Senhor Jesus Cristo. E agora, nos sentimos acolhidos em Seu amor”, relatou o Grupo “Fera – Fé e esperança, nasce o amor”.

Para o Grupo “Espírito Santo que nos uniu”, este tempo foi exatamente como na passagem que dá nome do movimento brasileiro que possui mais de 50 anos em Juiz de Fora. “Para alguns foi conhecer, para outros se reaproximar. Nesses dias conhecemos um grupo mais sobre Deus, amor e fé. Foi como se tivesse caminhando com Jesus, mas quando abrimos nossos olhos conseguimos enxergar Jesus em cada um de nós. Foi assim que entendemos que saímos como uma grande família. Emaús não se explica, Emaús se vive.”

DSCN9122-300x225O Presidente do Conselho Nacional do Emaús e Arcebispo Emérito de Sorocaba, Dom Eduardo Benes de Sales Rodrigues, esteve concelebrando a Missa e comentou que a liturgia estava providentemente ligada a vivência do retiro. “Jesus manda 12 apóstolos em missão, dizendo, ‘ora, não levem nada demais, levem apenas no coração, a mensagem, [pois] a força da missão está na mensagem vivida no próprio coração, e se encontrarem em dificuldades, sacudir a poeira dos pés’, e toquem para a frente de missão, não desanimem, e não deixem agarrarem vocês as rejeições, as dificuldades, e as contrariedades que apareceriam no caminho. E, assim, eles foram fazer essa experiência de missão, e foram muito felizes. Depois, mais tarde, depois da ressurreição, veio o Espírito Santo, e os doze, com a substituição de Judas, espalharam o evangelho pelo mundo inteiro, e nós continuamos essa missão”, resumiu ele.

“Nós, bispos, padres, e também os fiéis leigos e leigas, de forma muito especial os jovens, que, descobrindo a pessoa de Cristo como sentido de suas vidas, na alegria, passam a testemunhá-lo, e passam a atrair outros jovens para o segmento de Jesus. Jesus que está sempre presente, mas nem sempre reconhecido, só reconhecido quando as pessoas param para ouvir a Sua palavra”, concluiu Dom Eduardo.

Confira mais fotos na galeria.

Fonte: site da Arquidiocese de Juiz de Fora

Leia mais

NEWSLETTER
Cadastre-se e receba as novidades da Catedral.
  1. Facebook
  2. Twitter
  3. Instagram
  4. Video