Catedral celebra 32º Aniversário de Dedicação

dedicacaoA Catedral celebrou 32 anos da sua Dedicação na última sexta-feira, 12 de junho. A data foi marcada por uma missa em ação de graças presidida pelo arcebispo metropolitano de Juiz de Fora, dom Gil Antônio Moreira e concelebrada pelos padres da Catedral. Também teve a participação do diácono permanente, Antonio Valentino.

Assim como nos últimos meses, a missa, que também celebrou o 9º dia da Novena de Santo Antônio, aconteceu sem presença dos fiéis e foi transmitida ao vivo pelos meios de comunicação da Arquidiocese.

Em entrevista, Dom Gil falou da Catedral, fez um breve histórico da Dedicação. “A Catedral foi benta quando ainda era matriz no século XIV, por volta de 1870, 1877. Depois ela foi reformada, ampliada, embelezada, se transformou numa verdadeira catedral, então no dia 12 de junho 1988, Dom Juvenal Roriz, arcebispo da época, sagrou então essa Catedral. Por isso, celebramos a cada ano por termos uma Catedral sagrada entre nós”.

O arcebispo destacou que “o verdadeiro templo é Igreja Viva, cada um de nós é uma pedra, um tijolo, mas essa Igreja também tem que ser bela. As paredes dessa Catedral são bonitas, porque ela tem que refletir as coisas de Jesus Cristo que são sempre belas, ela representa também já alguma coisa do céu, lá onde vamos ter o templo da eternidade, onde tudo é maravilhoso”.

Dom Gil explicou ainda sobre a importância das pinturas da Catedral. “A Igreja preza muito pelos símbolos, que silenciosamente nos falam. A Catedral é uma pregação viva, cada elemento artístico de uma igreja é um sinal, uma pregação, a pessoa precisa ler essa pregação através dos sinais”, completou.

Ao final da celebração o arcebispo, os padres concelebrantes e algumas pessoas da equipe de celebração visitaram as quatro cruzes em mármores que simbolizam a dedicação do templo.

Placa da Dedicação

dedicacao

No interior da igreja, próximo à entrada principal, existe uma placa com registro da cerimônia, que foi realizada em 12 de junho 1988. Além da placa, existem quatro cruzes em mármores: duas na porta de entrada, e duas próximas ao altar que simbolizam esta dedicação do templo. Cada cruz representa um dos evangelistas e possui uma vela na sua parte superior.

Esta cerimônia significa que a igreja é dedicada a Deus, e no caso da Catedral Metropolitana de Juiz de Fora, em honra a Santo Antônio, e seu uso é exclusivo ao culto divino.

Corpus Christi é marcado por celebração online e cortejo pela Avenida Rio Branco

corpus christiNa última quinta-feira foi celebrada a Festa de Corpus Christi. Neste ano, a solenidade não pode contar com a presença física dos fiéis, porém, com celebrações on-lines e cortejos em toda a Arquidiocese foi possível vivenciar a festividade. Como é de costume, no centro da cidade, as paróquias Bom Pastor e Catedral celebraram em conjunto.

A Santa Missa foi presidida pelo Arcebispo Metropolitano, Dom Gil Antônio Moreira, presidiu a Santa Missa, na Paróquia do Bom Pastor. Os padres José de Anchieta Moura Lima, administrador paroquial da Catedral, e Rafael Neves de Oliveira, administrador paroquial do Bom Pastor, e Monsenhor Luiz Carlos de Paula, o Vigário Geral da Arquidiocese e da Catedral, concelebraram a Eucaristia. Os diáconos permanentes Antônio Valentino da Silva Neto e Jorge Luís Lopes dos Santos auxiliaram na celebração.

Esta é uma festa muito cara a Igreja, ela recorda o mistério central da vida dos cristãos: Jesus Eucarístico. Em vista disso, foi organizada uma programação especial para o dia. Logo no início da Missa, Dom Gil pediu a todos que participassem intensamente da liturgia. Além de frisar essa importância ao longo de toda a celebração.

Na homilia, o Arcebispo explicou o significado da festividade – Recordar a instituição da Eucaristia e profesar nossa fé na presença real de Jesus no Pão e no Vinho Eucarísticos e seu valor: “É o dia que Jesus sai do sacrário e vai visitar as cidades e o povo. Esse ano diferente, mas Jesus vai percorrer as ruas, os lares, onde você está para recordar novamente o discurso que fez aos judeus: ‘Eu sou o Pão decido do céu. Quem come deste Pão viverá eternamente’.”

Na ocasião, recordou a história da Igreja, como santos, mártires e concílios que mostram a sua fidelidade a presença Eucarística de Jesus. “Desde o início (dos tempos) a Igreja acredita que a Eucaristia é o Corpo e Sangue do Senhor”, frisou o Arcebispo.

Ele ainda explicou o quanto tal presença viva é consoladora. “Pois é Deus mesmo no nosso meio. Ele fez-se faz pão para ser o alimento. Expressão do maior amor que pode existir. Não é fruto de merecimento, mas da misericórdia e amor de Jesus, que sabe que precisamos de alimento e de remédio para conduzir nossa vida nessa terra, vencendo as intempéries.”

O Pastor lembrou como era nos anos anteriores, em que nesse local estariam reunidas cerca de 20 a 30 mil pessoas. “Certamente tanta gente tá sofrendo nesse tempo de pandemia por não receber a comunhão. Mas chegará esse dia. ‘Permanecei em mim e eu permanecerei em vós’ é a palavra de Jesus.”

Além disso, falou sobre o discernimento que tendo. “Vivendo esse tempo de pandemia, fiquei pensando nas crises que a humanidade passou e, em todas elas, o que mais vale é a fé. o que vai vale é a fé que a pessoa tem no coração. Quem tem fé confia, espera, não tem medo”.

Em entrevista, Dom Gil afirmou estar avaliando, com conjunto com as autoridades do Poder Público, a possibilidade de abertura gradativa das igrejas em breve. “Estamos pedindo uma grande graça a reabertura das Igrejas. Muitos lugares já reabriram, até Manaus, onde a situação é bastante perigosa, as igrejas estão abertas. Então, nós estamos dialogando com o Poder Público para ver se nós podemos já abrir nossas igrejas, com certos critérios. Quero pedir a você para rezar”.

Após a comunhão, o cortejo com o Santíssimo Sacramento foi realizado em carros abertos, sem a presença de fiéis, que puderam acompanhar a passagem de Jesus Eucarístico de suas casas, como também pessoas que circulavam pelo trajeto da tradicional procissão de Corpus Christi. Durante o percurso, foram feitas três paradas, durante as quais Dom Gil deu a bênção com o Santíssimo Sacramento: nas proximidades da Santa Casa de Misericórdia e do Hospital de Pronto Socorro (HPS), em frente ao Cenáculo São João Evangelista e no interior da Catedral.

No caminho possível observar diversas demonstrações de fé. Um carro com músicos e o Padre Rafael, seguia pelo caminho dando palavras de esperança, consolo e fé aos que por ali se encontravam. “A igreja continua sempre reunida, porque a igreja povo de deus espalhada pela terra celebra da festa da eucaristia”, afirmou Padre Rafael em entrevista.

“A eucaristia sempre nos leva a pensar na fraternidade. Jesus, quem partilha o dom da sua vida se dando a nós como alimento, também nos estimula a caridade. Em comunhão com a Catedral na realização deste evento, estamos fazendo um gesto solidário, vamos transformar nossa oração no compromisso com o outro, em especial os mais necessitados. Por isso estamos pedindo itens de higiene e alimentos, que podem ser entregues hoje ou longo da semana. O importante é que todos participem, demostrem-se generosos e fraternos uns com os outros, neste tempo de dificuldade”, disse o pároco do Bom Pastor. Por isso, o caminho também ocorreu esta arrecadação.

Chegando à principal igreja da cidade, novamente houve orações de adoração ao Senhor. Na sequencia, foram dados alguns recados, como o convite a Festa de Santo Antônio, ao 60 anos do Mosteiro da Santa Cruz e recordou-se dos três anos de Falecimento de Monsenhor Viana, intenção pela qual se celebrou também a missa de ontem.

Confira mais fotos no Facebook: clique aqui.

Fonte: site da Arquidiocese Juiz de Fora

Pela primeira vez, fiéis acompanham Solenidade de Corpus Christi de suas casas

Corpus-Christi-scaledNo próximo dia 11 de junho, a Igreja Católica celebra a festa da instituição da Eucaristia, o Corpus Christi. Lembrada sempre em uma quinta-feira em alusão ao dia da semana em que Cristo entregou aos apóstolos seu “Corpo e Sangue”, em 2020 a data será vivida de casa pelos católicos, em respeito ao distanciamento social em decorrência da pandemia do novo coronavírus.

Independente disso, as paróquias da Arquidiocese de Juiz de Fora prepararam programações especiais. Além das tradicionais Missas, cortejos com o Santíssimo Sacramento tomarão as ruas das cidades da região, mas deverão ser acompanhados pelos fiéis de suas Igrejas Domésticas. A proposta é que as frentes das casas sejam enfeitadas para a passagem de Jesus Eucarístico.

No Centro de Juiz de Fora, o Arcebispo Metropolitano, Dom Gil Antônio Moreira, presidirá Celebração Eucarística às 14h30, na Igreja Bom Pastor. Em seguida, haverá transladação do Santíssimo para a Catedral, onde será realizada Hora Santa Eucarística e dada a bênção solene.

Outra iniciativa que marcará a Solenidade de Corpus Christi, segundo recomendação arquidiocesana, será o recolhimento de alimentos não-perecíveis e materiais de higiene pessoal e limpeza pelas paróquias. As doações serão oferecidas a famílias carentes. Na Catedral, o recolhimento acontecerá em sistema de drive thru, e será nos horários de 09h às 11h e de 14h às 16h.

A missa de 10h, na Catedral, será transmitida apenas pelo Facebook. Já a Missa na Igreja Bom Pastor, às 14h30, que será seguida de transladação do Santíssimo Sacramento para a Catedral, onde será realizada Hora Santa Eucarística e dada a Solene Bênção do Santíssimo terá transmissões pelo Facebook e YouTube da WebTV “A Voz Católica” e pela Rádio Catedral 102,3 FM.

Fonte: site da Arquidiocese Juiz de Fora

Leia mais

NEWSLETTER
Cadastre-se e receba as novidades da Catedral.
  1. Facebook
  2. Twitter
  3. Instagram
  4. Video