Grupos de “Mães que oram pelos filhos” participam de missa presidida por Dom Gil

missamaesNa noite do último domingo, o arcebispo metropolitano, dom Gil Antônio Moreira, presidiu uma missa especial em intenção de todas as mães vivas e falecidas. Os grupos de “Mães que oram pelos filhos” da Arquidiocese marcaram presença e, ao final da celebração, algumas mães fizeram a coroação de Nossa Senhora.

O pároco da Catedral, Monsenhor Luiz Carlos de Paula concelebrou e o Diácono Waldeci Rodrigues também participou dessa missa que foi marcada por emoção e fé.

Na homilia, Dom Gil citou o evangelho do dia e explicou que Cristo é a única maneira para chegar na eternidade, pois Ele é o Caminho, a Verdade e a Vida. “Para entrar nesse caminho devemos deixar Cristo penetrar em nossa vida e é necessário ter fé. Porque Ele é a verdade que ultrapassa os conhecimentos humanos”.

missamaes2O arcebispo disse, ainda, que os apóstolos foram escolhidos para ser nossos pedagogos e que nos levam pela mão para a verdade que é Jesus. “Assim como eles, a tarefa das mães é de ensinar os seus filhos e de gerar não só fisiologicamente, mas também espiritualmente. Nossas mães nos ensinaram, quando criança, que existe um só Deus verdadeiro”, completa.

Mães que oram pelos filhos

De acordo com a coordenadora diocesana do grupo “Mães que oram pelos filhos”, Silvania Chaves, 52 anos, o movimento completa um ano de existência na Arquidiocese de Juiz de Fora, neste mês de maio. “É uma alegria ter celebrado com o Dom Gil nesse Dia das Mães, dessa forma percebemos a aceitação do nosso grupo pela Arquidiocese”.

Silvania destaca, ainda, que o grupo não reza apenas pelos próprios filhos, mas pede também por aqueles filhos que não têm ninguém que reza por eles. Para completar, explicou que o objetivo do grupo é “acalmar e fortalecer o coração das mães”.
A coordenadora do grupo que se reúne na Igreja São Sebastião (Nossa Senhora Rainha da Paz), Anamaria Lopes, 68 anos, agradeceu a acolhida das mães por Dom Gil. Além disso, ela disse que o lema vivido pelas mães é “Quero de joelhos ver meus filhos de pé! ”. Ela ressalta, também, que “rezando pelos filhos nós também recebemos as graças”.

Confira as fotos da celebração em nosso Facebook.


Saiba onde encontrar um grupo “Mães que oram pelos filhos” em Juiz de Fora:

Santa Cruz
Capela Santa Filomena
Reuniões: quarta-feira, 20h
Rua Aladir Soares da Silva, 136 - Quintas da Avenida
Tel.: (32) 3223-5382 (coordenadora: Silvania Aparecida Guimarães Chaves)

Nossa Senhora Rainha da Paz
Igreja São Sebastião
Reuniões: quinta-feira, 20h
Praça Hermenegildo Vilaça s/n - Centro
Tel.: (32) 3215 0630/ 9883 (coordenadora: Anamaria Rodrigues Neto Lopes)

Nossa Senhora Mãe de Deus
Paróquia Nossa Senhora Mãe de Deus
Reuniões: quarta-feira, 19h30
Praça Cardoso Sobrinho, 17 - Bairro de Lourdes
Tel.: (32) 3211-3237 (coordenadora: Denise Loures de Mattos)

Nossa Senhora dos Impossíveis
Paróquia São José
Reuniões: quinta-feira, 20h
Av. Sete de Setembro, 288 – Costa Carvalho
Tel.: (32) 3241-6648 (coordenadora: Nivia Goldoni Soares Ribeiro)

Comunicado sobre a entrega das carteirinhas do Dízimo

2A Catedral informa que, devido à possibilidade de GREVE DOS CORREIOS, as CARTEIRINHAS DO DÍZIMO NÃO FORAM ENVIADAS ESSE MÊS.

Os dizimistas devem se dirigir à recepção paroquial para pegar a sua carteirinha.

Ajudem a divulgar!

Católicos celebram dia de Nossa Senhora de Fátima

nsrafatima siteNo próximo sábado, 13 de maio, os católicos festejam o Dia de Nossa Senhora de Fátima. Na Catedral, a missa festiva será, às 15h, presidida pelo arcebispo, dom Gil Antônio Moreira, com a participação dos Arautos do Evangelho.

E, neste ano, a celebração será mais especial porque celebraremos 100 anos da primeira aparição de Nossa Senhora de Fátima aos três “pastorinhos”, em Portugal.


Conheça a história de N. Sra. de Fátima

No dia 5 de maio de 1917, o mundo ainda vivia os horrores da Primeira Guerra Mundial, então o papa Bento XV convidou todos os católicos a se unirem em uma corrente de orações para obter a paz mundial, com a intercessão da Virgem Maria. Oito dias depois, em Fátima (Portugal), três crianças, filhas de famílias pobres, receberam um sinal. Eram elas: Lúcia, com 10 anos, e os primos, Francisco e Jacinta, com 9 e 7 anos, respectivamente.

As crianças brincavam enquanto as ovelhas pastavam. Ao meio-dia, rezaram o terço. Ao voltar para as brincadeiras, depararam com a Virgem Maria pairando acima de uma árvore. Ela pediu que os pequenos rezassem o terço e que visitassem àquele mesmo local, todo dia 13, de cada mês. O encontro aconteceu pelos sete meses seguintes.

As mensagens trazidas por ela pediam ao povo orações, penitências, conversão e fé. A pressão das autoridades sobre os meninos era intensa, pois somente eles viam a Virgem Maria e depois contavam as mensagens recebidas, até mesmo previsões para o futuro, as quais foram reveladas nos anos seguintes e, a última, o chamado "terceiro segredo de Fátima", no final do segundo milênio, provocando o surgimento de especulações e histórias sobre seu conteúdo.

Na época, muitos duvidavam. As aparições só começaram a ser reconhecidas oficialmente pela Igreja na última delas, em 13 de outubro, quando sinais foram vistos por todos no céu, principalmente no disco solar. Poucos anos depois, os irmãos Francisco e Jacinta morreram. Lúcia tornou-se religiosa de clausura, e permaneceu sem contato com o mundo por muitos anos.

O local das aparições de Maria foi transformado em um santuário para Nossa Senhora de Fátima.

Leia mais

NEWSLETTER
Cadastre-se e receba as novidades da Catedral.
  1. Facebook
  2. Twitter
  3. Instagram
  4. Video