Novena de Natal virtual marca Tempo do Advento em ano de pandemia

Novena-de-Natal-2-211x300A caminhada litúrgica da Igreja é marcada por vários tempos, e cada um deles celebra uma dimensão da vida do Cristo e de sua ação missionária. Neste domingo, 29 de novembro, inicia-se o Advento, que, como a própria palavra diz, representa a alegre espera da chegada de Deus, por meio de Seu Filho Jesus.

Este tempo, que assinala o começo do Ano Litúrgico e se encerra na tarde de 24 de dezembro, compreende as quatro semanas que antecedem a festa do Natal. Nas duas primeiras, a liturgia convida a vigiar e a esperar a vinda gloriosa do Salvador; nas duas últimas, recorda a espera dos profetas e de Maria, recordando a proximidade do cumprimento da promessa salvífica de Deus.

O Advento ainda é marcado por uma Guirlanda ou Coroa, composta por quatro velas nos seus cantos, presas aos ramos formando um círculo. A cada domingo acende-se uma delas, representando as várias etapas da salvação. Neste período prevalece a cor roxa, símbolo da conversão que é fruto da revisão de vida.

Após a audiência geral da última quarta-feira (25), Papa Francisco recordou a importância do período que está prestes a começar, especialmente por conta da pandemia. “Nestes tempos difíceis para muitos, esforcemo-nos por redescobrir a grande esperança e alegria que nos dá a vinda do Filho de Deus ao mundo”. O Santo Padre ainda indicou que, durante a viagem dos quatro domingos do Advento, a luz de Cristo pode “iluminar os nossos caminhos e dissipar a escuridão dos nossos corações”. E completou, convidando os cristãos a “dedicarem momentos de oração”, “meditando à luz da Palavra de Deus, para que o Espírito Santo possa iluminar o caminho a seguir e transformar o coração, na espera o Nascimento de Nosso Senhor Jesus”.

Novena de Natal

Em 2020, a celebração do Advento e do próprio Natal será um pouco diferente por conta da pandemia da Covid-19, mas não menos especial. A tradicional novena que caracteriza o tempo de espera do nascimento de Jesus, em que grupos de famílias, amigos e vizinhos se reúnem, este ano será feita virtualmente na maioria dos lugares.

Na Arquidiocese de Juiz de Fora não será diferente. A novena, que assim como nos últimos anos foi preparada a nível de Província Eclesiástica, em parceria com as dioceses de Leopoldina e São João del-Rei, não foi impressa e já está disponível em formato digital para celulares e smartphones. Ficará a cargo de cada paróquia a organização e o formato das reflexões novenárias.

“Como Igreja, fomos encontrando novas maneiras de nos fazer presentes no coração das pessoas e das famílias, sempre com uma palavra de esperança, de conforto e também de profecia. Nunca foi tão eloquente evangelizar ‘pelas ruas e sobre os telhados!’. Redescobrimos o coração de nossas famílias, a oração familiar, a presença e proximidade na distância. Assim, também a Novena de Natal em família deste ano pandêmico quer ser, na sequência, mais uma oportunidade pessoal e familiar para vivenciar a celebração do Natal de Jesus como luz que desponta e aponta em meio a esta noite tenebrosa, escura, fria, como um grande acontecimento de fé que toca a todos nós espiritualmente”, escreveu a Comissão Arquidiocesana para a Novena de Natal 2020 no livreto on-line.

Na mesma direção, o Arcebispo Metropolitano de Juiz de Fora, Dom Gil Antônio Moreira, afirma que a Igreja precisou se reinventar durante a pandemia. “A surpresa invadiu os mais requintados laboratórios, as mais altas esferas da ciência, o comércio, os governos, o transporte, e tantos outros setores, modificando relações e atendimentos. Também na Igreja, a realidade pandêmica vem desafiando métodos, provocando reorganizações e incitando a reinvenção de muitas coisas.

O pastor ainda comenta o lema escolhido para este ano: “Deus habita esta cidade” (Sl 47, 9). “É um lema empolgante, porquanto nos dá oportunidade de ver o bem que Deus pode tirar as coisas más, e Ele mesmo morar no meio de nós. Não estamos sós. O Emanuel, Deus conosco é uma realidade salvadora”.

Além dos textos da novena, a comissão organizadora disponibilizou artes personalizáveis para os nove dias, que podem ser compartilhadas nas redes sociais por paróquias, grupos e movimentos. Clique aqui e confira todo o material.

Fonte: site da Arquidiocese de Juiz de Fora

Vigários e Diácono da Catedral celebram aniversário de ordenação

aniversarios ordenacoes mons-diac antonio-pe vitorio siteA comunidade paroquial da Catedral está em festa no início de dezembro. Neste sábado, dia 05, nosso vigário paroquial, monsenhor Luiz Carlos de Paula, comemora o seu 33º aniversário de ordenação sacerdotal.

No dia 07, o diácono permanente Antonio Valentino da Silva Neto celebra seu primeiro ano de ordenação. E, no dia 08, é a vez de comemorar 13 anos de ordenação do nosso vigário paroquial, padre Luiz Carlos Vitório.

Luiz-Carlos-de-Paula"Ser padre para mim é consagrar a vida a Deus a serviço do povo. É ser discípulo missionário de Jesus Cristo todos os momentos da vida", afirma mons. Luiz Carlos.

Mons. Luiz Carlos é natural de Santa Rita de Jacutinga e foi ordenado sacerdote em 05 de dezembro de 1987, seu lema de ordenação é: "Sei em quem acreditei" (2Tm 1,12).

Já atuou em outras paróquias da Arquidiocese de Juiz de Fora nas cidades de Santa Rita de Jacutinga - MG, Passa Vinte-MG, Lima Duarte-MG, Conceição de Ibitipoca -MG, Olaria-MG e em Juiz de Fora, na Paróquia Bom Pastor e atualmente na Catedral Metropolitana. Além de ser o atual reitor do Seminário Arquidiocesano de Santo Antônio.

Antonio-Valentino"Para mim ser diácono é ser imitador de Cristo servo, é ser servidor da Igreja em uma tríplice missão."

O diácono Antonio é natural de Duque de Caxias (RJ) e foi ordenado no dia 07 de dezembro de 2019, com mais 24 diáconos permanentes e 3 transitórios, seu lema de ordenação é: "E enviou-os para anunciar o Reino de Deus." (Lc 9,2). 

Atua na Catedral em diversas áreas, porém a principal delas é como um dos coordenadores do SOS Cristão, que é o departamento responsável pela arrecadação de alimentos e distribuição de cestas básicas às famílias mais necessitadas.

Luiz-Carlos-Vitório"Para mim, ser padre é poder ser instrumento de Deus. Estar disponível mais para Deus e poder ajudar tantas pessoas a buscar e fazer a cada dia este caminho de encontro com próprio Cristo. Amo ser padre."

Padre Luiz Vitório é natural de Aracitaba (MG) e foi ordenado sacerdote em 08 de dezembro de 2007, seu lema de ordenação é: “Te conheci, Te Consagrei, te envio” (Jeremias 1,4-9).

Já atuou nas paróquias Nossa Senhora de Fátima (Santa Cruz - Juiz de Fora - MG), São Francisco de Paula (Distrito de Torreões - Juiz de Fora - MG), São Pedro (Juiz de Fora - MG), Santo Antônio (Passa Vinte - MG), Nossa Senhora da Conceição (Benfica - Juiz de Fora - MG), Santa Teresinha (Juiz de Fora – MG) e atualmente Santo Antônio (Catedral de Juiz de Fora - MG).

Desejamos que Deus continue derramando bênçãos sobre suas vidas e que a missão de cada um como discípulo missionário na construção do Reino seja sempre iluminada pela luz do Espírito Santo. Parabéns!

Arcebispo determina suspensão de celebrações presenciais

Igreja-vaziaO Arcebispo Metropolitano de Juiz de Fora, Dom Gil Antônio Moreira, determinou a suspensão da participação presencial em celebrações e da realização de sacramentos até o dia 15 de dezembro. A decisão, comunicada ao Clero na manhã desta terça-feira (1ª) e que vale para todo o território arquidiocesano, foi tomada devido ao novo aumento do número de casos e mortes em decorrência da Covid-19 na região.

Dom Gil deu liberdade aos párocos e administradores de paróquias do interior com relação à realização de missas ao ar livre e para cumprir os agendamentos já realizados pelos fiéis. Contudo, ele pediu que a situação pandêmica local e as orientações municipais sejam levadas em consideração. Em Juiz de Fora, que regrediu para a Onda Amarela do Programa Minas Consciente, a determinação do Arcebispo é que todas as atividades sejam canceladas.

No caso de casamentos já marcados para o período da suspensão, a indicação é que sejam mantidos, desde que essa seja a vontade dos noivos e que sejam respeitadas as medidas de proteção individual. Já os ritos de Batismo, Primeira Eucaristia, Crisma e atendimento de confissões devem ser remarcados, assim como a Unção dos Enfermos, quando possível for.

Dom Gil reiterou junto ao Clero a importância da manutenção, principalmente nos próximos 15 dias, das transmissões de Missas e outras atividades paroquiais. Além disso, ressaltou a esperança de que a realidade da pandemia tenha melhorado na segunda metade do mês, para que os arquidiocesanos possam celebrar, da melhor forma, a Festa do Natal do Senhor.

Clique aqui e confira o comunicado do Arcebispo.

Fonte: site da Arquidiocese de Juiz de Fora

Leia mais

NEWSLETTER
Cadastre-se e receba as novidades da Catedral.
  1. Facebook
  2. Twitter
  3. Instagram
  4. Video