Fiéis celebram a ressurreição de Cristo no Sábado Santo

DSC08409 480x640A celebração mais importante do ano litúrgico e para os cristãos é a grande celebração da Páscoa que aconteceu no Sábado Santo. Neste dia, é comemorado a ressurreição de Cristo e é um convite para uma renovação da fé e da vida dos fiéis.

A missa foi presidida pelo arcebispo metropolitano, dom Gil Antônio Moreira e reuniu toda a comunidade paroquial e muitos fiéis.

A celebração foi iniciada com a Bênção do Fogo Novo, na porta principal da igreja e depois de acender o Círio Pascal, os fiéis, um a um, foram também acendendo suas velas e iluminando a igreja.

“É um momento de muita alegria. Depois de vivermos uma Semana Santa de oração, jejum, penitência e reflexão, esta noite é o momento em que Cristo venceu a morte. Ele venceu a dor, o sofrimento e a morte”, explicou o arcebispo.

Sobre a Páscoa, dom Gil explicou sobre a misericórdia de Deus. “A misericórdia de Deus não tem fim. A Páscoa é a renovação da nossa confiança. A ressurreição de Cristo também é a nossa ressurreição. Nosso Deus está vivo e por isso, devemos encher o nosso coração de alegria”, afirmou.

Após a comunhão, houve a Adoração ao Santíssimo Sacramento. A celebração foi encerrada com a procissão do Santíssimo no adro da Catedral.


Sermão descendimento da Cruz e procissão encerram Sexta-feira da Paixão

DSC08291 480x640Milhares de pessoas passaram pela Catedral na Sexta-feira da Paixão, 18 de abril. O dia foi marcado pelo silêncio, reflexão e oração, na celebração que relembrou a morte e a paixão de Jesus.

Durante a manhã, foi realizada a Via-sacra pelas ruas da cidade. Conduzidos pelo pároco da Catedral, mons. Luiz Carlos de Paula e pelos diáconos Waldeci e Weligton e Ana Chevitarese.

Após a Ação Litúrgica, às 15h, que foi conduzida pelo arcebispo dom Gil Antônio Moreira, aconteceu, às 19h, o momento do descendimento da cruz e em seguida, a procissão do enterro.

Este ano, o Sermão do descendimento foi proferido pelo padre José de Anchieta Moura Lima e ao final, foi realizada uma procissão pelas ruas da região central da cidade, com as imagens do Senhor Morto e de Nossa Senhora das Dores.

DSC08314 480x640Durante o Sermão o padre fez com que os fiéis refletissem quem foi Jesus e como Ele agiu durante a vida. Em um momento de muita oração e reflexão, milhares de fiéis em silêncio repensaram as suas ações.

“Nós todos aqui somos convidados a compadecer e a solidarizar-se com Ele, a abrir o coração totalmente à Jesus e tê-lo como centro da minha vida. É importante aprendermos a relacionarmos conosco, com o outro e principalmente com Deus”, afirmou o sacerdote.


Ação Litúrgica lembra a morte de Cristo

ato liturgicoNa tarde desta Sexta-feira Santa, 18 de abril, Dom Gil Antônio Moreira presidiu a Ação Litúrgica na Catedral Metropolitana. A igreja estava lotada de fiéis que acompanhavam a cerimônia que lembra a morte de Cristo.

Durante a Ação Litúrgica os participantes puderam meditar através das leituras, os mistérios da Paixão de Cristo. O arcebispo refletiu que “a morte de Cristo não é uma derrota nem é o fim, a morte Dele é o princípio da ressurreição. Cristo ficou um período na escuridão, naquele silêncio, mas no terceiro dia Ele retomou a vida para nunca mais morrer”, finalizou.

A celebração continuou com a chamada “Oração Universal”, em que os presentes rezam pela Igreja, pelo Papa, por todas as Ordens e fiéis e pelos Catecúmenos (que se preparam para receber um sacramento). Os fiéis rezaram ainda pela unidade dos cristãos, pelos Judeus, pelos que não creem em Cristo e em Deus, pelos poderes públicos e por todos que sofrem provações.

Ao final todos puderam adorar a Cruz e logo após receberam a comunhão.

                                                                                                                   Fonte: Arquidiocese de JF

Leia mais

NEWSLETTER
Cadastre-se e receba as novidades da Catedral.
  1. Facebook
  2. Twitter
  3. Instagram
  4. Video